11 de abril de 2013

Linhas Tortas

Escrevo linhas tortas
Como se de um enigma se tratasse.
São quase impossíveis de decifrar.
Por entre as minhas linhas,
Há uma história por contar.

Versos soltos. Versos livres.
Versos com algum nexo,
Ou talvez não.
Versos que passeiam pela minha cabeça,
Mas capturo-os com a mão.

Nas minhas veias não há sangue.
Nas minhas veias há estrofes.

Escrevo as linhas tortas,
Como se um desenho estivesse a pintar,
É-me indiferente se o poema
Começa pelo "B" ou pelo "A".

O meu texto é verdadeiro.
Direto.
É um texto simples, sincero.
É tinta que sai da medula,
E mesmo que eu não queira
A palavra manifesta-se, e pula.

Analiso corações
Como se fosse uma cardiologista.
Não examino apenas o meu,
Mas também o dos outros,
Como uma verdadeira artista.
Transmito para o papel o verde e o negro da vida.
Se arrancar um sorriso de alguém,
Para mim já é uma grande conquista

10 comentários:

  1. As tuas palavras transcendem o infinito.

    ResponderEliminar
  2. você tem um potencial enorme, você tem muita perna para caminhar parabéns por transmitir palavras tão lindas.

    ResponderEliminar
  3. parabéns Jheniffer, esse poema vc tava inspirada hein, gostei quando vc disse que mesmo que vc não queira as palavras se manifestam e pulam de vc, eu tb sinto isso quando estou escrevendo, peço pra vc me ajudar a divulgar minhas poesias , to começando agora valew

    http://a-escrita-e-eu.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem imagina o quanto é bom ler comentários de pessoas que, como você, se identificam com a maneira e com aquilo que escrevo, pois esse é um dos motivos que me move na continuação do blogue.

      Facebook: https://www.facebook.com/blogaescritaeeu

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar